Update do Redmine para versão 0.8.2

Ao atualizar o Redmine para a versão 0.8.2 o repositório Git parou de ser atualizado automáticamente, mas sem levantar um erro. Ao executar o fetch_changesets do repositório verificamos que o console logava o seguinte erro:

 fatal: unknown date format --date=iso

Varrendo um pouco o Google e os fóruns do Redmin, vimos que se tratava de uma atualização do adaptador do git (redmine/scm/adapters/git_adapter) que passou a demandar um Git na versão 1.5.4.2 e o nosso servidor estava na versão 1.5.2.5. Se você quiser saber qual a sua versão, digite:

$ git --version

Veja mais informações nos links: Wiki sobre Repositórios no Redmine e Discussão no fórum sobre o problema.

Vamos às novidades positivas da versão. Primeiramente o browse de repositórios para o Git ficou pronto. Nos mesmos moldes do já existente para o Subversion. Sinceramente, esse browse de repositório ficou melhor que o Gitk. A comparação de alteração de um arquivo entre diferentes revisões ficou muito mais rápida e direta.

Além disso, a estrutura de diretórios ficou mais organizada. Alternativamente o usuário pode ver as últimas revisões, no mesmo molde do Gitk. Não consegui, contudo, vizualizar diferentes branches. Mas isso, realmente, não deveria ser esperado do Redmine. Seria um bônus.

Outras modificações ocorreram na parte de criação de tickets (tarefas em português). Um usuário pode agora, ao criar o ticket, definir os usuários que devem tomar ciência do ticket (os watchers, ou monitores em português).

Além disso, para quem quer criar vários tickets existe agora o botão Create and Continue (Criar e Continuar), que permite gravar um ticket e já ir direto para um novo ticket. Isso poupa um passo e torna o cadastramento de tickets um pouco menos doloroso.

Outras mudanças menores ocorreram, além de bug fixes importantes. Para uma olhada mais profunda, confira o Changelog do Redmine.

A maior parte das funcionalidades já estava disponível desde a versão 0.8.1, mas só passamos do 0.8.0 para o 0.8.2 agora, após uma homologação de estabilidade da aplicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *